Quarta-feira, 29 de Novembro de 2006

Caneta

Caneta é nome,
Comum,

Concreto,

Uniforme,

Singular,

Grau normal,

Não animado,

Não humano,

Contável.

 

Caneta é objecto desvalorizado.

Deixam-na cair,

Pisam-na,

Partem-na,

Colocam-na no lixo,

Matam-na!

 

Mas uma caneta será só isso?

Para mim não é…

Uma caneta é muito mais.

É um registo,

É uma lembrança…

Boa ou má,

É a minha vida,

Colorida ou negra,

Que transponho para o papel.

Num risco,

Num rabisco!

 

É a minha vida…

Na ponta da caneta!

 

                            Ângela Marques

publicado por Clube às 20:00
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Poemas de Dezembro

. Poema da Angela Marques

. Poema da Ana Matos

. Poema da Margarida Turiel

. Poema da Sara Gonçalves

. Poema da Andreia Gonçalve...

. Poema do Flávio Pereira

. Poema da Joana Martinho

. Poema da Carolina Guedes

. Poemas de Novembro

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

.Links