Segunda-feira, 2 de Abril de 2007

Poema da Ângela Filipa

Olá Estranho…!

 

O que estavas a fazer quando tocaste à porta?

Não sei,

Como posso saber?

Não te conheço!

És um estranho!

Mas, chegaste a horas,

Mesmo a tempo,

No momento exacto,

Mudaste a minha vida…

Gostava de perceber porque és estranho…

Porque não te consigo conhecer …

Não sei,

Apenas não consigo!

É estranho!

 

Era bom ver-te,

Ouvir a tua voz,

Sentir o teu toque,

Conseguir traçar as linhas do teu rosto numa folha…

Não consigo!

É impossível!

 

Agora que te vais embora,

Gostava de ficar com um vazio,

Sentir a tua falta por partires,

Mas não sinto…

Não consigo…

Não te conheço…

És um estranho!

 

Até qualquer dia, Estranho…!

publicado por Clube às 20:00
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Poemas de Dezembro

. Poema da Angela Marques

. Poema da Ana Matos

. Poema da Margarida Turiel

. Poema da Sara Gonçalves

. Poema da Andreia Gonçalve...

. Poema do Flávio Pereira

. Poema da Joana Martinho

. Poema da Carolina Guedes

. Poemas de Novembro

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

.Links